Finalmente...

Após meses sem ver filmes decentes no cinema (só de me lembrar do "The Invasion" ou d' "A Bússola Dourada"...ai ai...realmente a Nicole Kidman não anda a escolher nada bem os projectos em que se mete...) ontem vi logo duas obras excelentes, assim, de rajada (ou quase).

Tinha planeado ver o "Lions for Lambs" e o "Eastern Promises" à tarde, mas devido a pequenos detalhes nos horários, tive de prescindir do primeiro e ver o segundo - eu de vez em quando gosto de fazer estas sessões duplas. Calhou a ser nos cinemas do Campo Pequeno. Nunca lá tinha ido e não desgostei das salas: são confortáveis, são novas, têm bom som (se bem que o isolamente das salas não é o melhor - passei a sessão toda a ouvir os sons mais graves de uma sala ao lado...). Só tinham uma coisa que eu não gostei muito...um ecrã pequenino - eu pessoalmente não gosto muito, parece que estou a ver TV, por isso é que gosto sempre de ir para a metade mais à frente da sala - mas pronto, viu-se bem :)
Ora bem, quanto ao filme (que por sinal irá sair de salas, sem vir à minha terrinha, assim como o outro previsto para ver...), "Eastern Promises" (ou em português: Promessas Perigosas...) conta a estória de uma parteira, Anna (Naomi Watts), que assiste ao parto de Tatiana, uma adolescente vinda do Leste da Europa, a qual acaba por morrer - de forma suspeita - deixando uma menina órfã. Anna, devido ao seu próprio passado, interessa-se pela bebé e tenta descobrir a família de Tatiana, deslocando-se à zona ocupada pelos russos na cidade de Londres. Aí conhece Semyon (Armin Mueller-Stahl) , dono de um restaurante, o seu filho, Kirill (Vincent Cassell) e o motorista, Nikolai (Viggo Mortensen). À medida que Anna tem contacto com estas pessoas vai-se dando conta que não são quem parecem ser e que o perigo espreita na forma da Máfia Russa.
Apesar de ter apenas 1 hora e 40 minutos, não me fica nenhuma sensação de falta, estava lá tudo, a origem das personagens, o que as move, o que são. E pronto, sim, o filme tem algumas cenas de violência mais forte, mas não as achei completamente despropositadas, apesar de serem um pouco demais para quem não se sente muito à vontade com este género de imagens.
Eu já queria ver este filme há algum tempo, porque tenho vindo a gostar de Cronenberg (só ainda não é favorito, porque ainda não vi a sua filmografia toda, mas os que vi, gostei, excepto "Spider", que, admito, é um bocado à frente para mim, neste momento) e porque tinha Viggo Mortensen. Estava um bocado reticente em relação à Naomi Watts, mas gostei bastante da sua prestação. Viggo Mortensen estava, na minha opinião, irrepreensível. Armin Muller-Stahl, um actor que vejo pouco, foi também outro ponto alto neste filme.
Resumindo, aí está mais um filme do ano e mais um em lista de espera para a compra do DVD (é Natal meus amigos, o que me dizem? ;)

À noite foi a vez de outro grande filme: "American Gangster". Mais uma nova associação entre o realizador Riddley Scott e o actor Russell Crowe (por sinal, um dos meus actores favoritos) e mais uma associação entre os actores Russell Crowe e Denzel Washington (se bem se lembram este dois meninos já tinham participado juntos no filme "Virtuosity").
"American Gangster" é mais um filme sobre mafiosos, mais precisamente, sobre a ascensão e queda de Frank Lucas (Denzel Washington). Este surge do nada após o seu patrão e mentor, Bumpy Johnson, falecer, tomando o lugar deste como principal distribuidor de heroína em Nova Iorque. Lucas não compra a intermediários, mas vai directamente à fonte de produção de droga, obtendo heroína com um elevado grau de pureza e a um preço muito mais baixo que a concorrência. E como é que ele faz isto? Nesta altura está a decorrer a Guerra do Vietname e através dos seus contactos, Lucas consegue falar directamente com o produtor de heroína no continente asiático e transportar enormes quantidades de droga nos próprios aviões da Força Aérea Americana. Com esta inundação do mercado com droga de alta qualidade, as Forças Policiais Federais acordam para o problema da droga e tentam organizar-se a nível nacional para abater os cabecilhas da Máfia que estarão por detrás disto. Aqui entra o detective Richie Roberts (Russell Crowe) que é convidado a formar uma força policial local com esse mesmo objectivo.
E basicamente é isto. Acho que já falei demais, mas pronto.
"American Gangster" é, apesar de ter grandes actuações de muito bons actores, o filme DE Denzel Washington. Ele arrebata todas as cenas em que está e na minha singela opinião, só Russell Crowe lhe consegue fazer frente nesse aspecto (tell me I'm wrong...). Russell Crowe está, como sempre, mais que bem - se bem que para fazer este filme, na maioria das cenas não precisa de actuar muito não é verdade (acho que para a pancadaria ele já tem um instinto nato...LOL).
Além dos actores já referenciados este filme inclui ainda muito boa gente em lugares secundários, mas não prescindíveis como: Ted Levine, Armand Assante, Cuba Gooding Jr., Josh Brolin, John Hawkes, Roger Bart.
Riddley Scott voltou aqui a fazer um excelente trabalho e assinou mais um filme do ano (eu não disse que finalmente tinha ido ver duas obras excelentes??).

Outros filmes a ver - e que provavelmente já não vou conseguir assistir numa sala de cinema :(
"The Brave One"
"Control"
"Beowolf"
"Elizabeth - The Golden Age"
"Le Scaphandre et le Papillon"
"Bee Movie" (este talvez consiga ver, mas só em versão original - que me perdooem os Marklianos, mas ver coisas dobradas não é a minha cena...)

P.S.: Visto que tenho pouca queda para a escrita, muitas vezes dou erros na sintaxe e ortografia. Se os detectarem, agradecia que me chamassem à atenção sff.

18 dezembro 2007

11 Comments:

Cataclismo Cerebral said...

Gostei razoavelmente do The Invasion, o Eastern Promises foi uma desilusão e o Beowulf surpreendeu-me. O The Brave One aconselhava a ver, já que para mim é um dos filmes do ano. Estou curioso em relação ao Lions For Lambs e estou ansioso pelo Redacted (do Brian De Palma), que penso que estreia ainda esta semana.

Bjs

_Loot_ said...

Dos que falas só vi o Eastern promisses, o control e o beowulf.

Os dois primeiros gostei muito, o beowulf acho que vale a pena pela experiência que é principalmente se vires em 3D.

bjs

Jedi Master Atomic said...

Ainda bem que não viste o "Lions for Lambs", porque senão o dia teria começado de forma muito chocha...lol

Os 2 filmes que viste de rajada são bons sim senhor....

O meu record por acaso são 3 filmes de rajada, mas só fiz isso uma vez e ainda por cima no colombo !!! MEDO !!! lol

Izzi said...

Cataclismo, porquê desiludido?
Eu também estou ligeiramente curiosa em relação ao Redacted (pensava que só estreava daqui a não sei quantos meses...)

Loot, o Beowolf gostava mais de ver também por essa característica do 3D (nunca vi nenhum filme em 3D que me lembre...).

Ai Jedi, não me digas uma coisa dessas, estava com alguma expectativa em relação ao Lions for Lambs...:|
3 filmes de seguida nunca tentei e penso que as minhas sessões duplas nunca se passaram no colombo (pelo menos os 2 filmes - já tenho andado a saltitar de cinema em cinema :) Mas o que tem o Colombo...bom sítio, boas pessoas, acolhedor ;)

Jedi Master Atomic said...

EEEEERRRRRRRR.....IZZI, o colombo é acolhedor ANTES das 22h !!!

Experimenta ir à sessao da meia-noite e vais perceber o quão "acolhedor" se torna.....lol

É como te digo. Não posso dizer que o filme é mau, porque tem bons actores que safam o argumento. O filme simplesmente é banal e nada de especial. Vai ver mas não com grandes espectactivas.

Izzi said...

LOL..pois, o mais tarde que lá fui foi a uma sessão das nove e meia...
Vou tomar essa nota em consideração :)

I'mNesic said...

e eu k já nao sei o k é um cinema. Lá me tenho de limitar a ler as sinopses da menina, para me sentir minimamente actualizada! hi hi hi
bjinhos

Izzi said...

Deixa lá que a minha vida na maior parte do ano não é muito diferente...Mas de vez em quando tem de se contrariar essa onda :)

MRC said...

A história de uma abelha tem uma 1ª parte engraçada e original, mas a 2ª parte do filme é completamente disparatada e cretina. O que vale é que os miúdos não são muito exigentes com a qualidade dos argumentos.
A Naomi Watts é, para mim, uma das minhas actrizes preferidas por mostrar de forma muito impressiva a face mais humana e frágil do ser humano. Faz-me lembrar, na versão masculina, o Jim Caviezel.
Para mim, um dos filmes do ano é o filme com Edward Norton, "O Véu Pintado", um filme desconcertante que, num ambiente de ódio e rancor, aborda a temática do amor, numa perspectiva pouco comum. Vale a pena ir ao clube de vídeo vê-lo.

Izzi said...

MRC, esse filme "O Véu Pintado" só li sobre ele, não cheguei a vê-lo, mas vou anotá-lo e talvez o vejo proximamente. Obrigada pela sugestão :)

Cataclismo Cerebral said...

O Eastern Promises pareceu-me pouco envolvente, com uma história não muito original e com uma Naomi Watts claramente sub-aproveitada. E aquela narração em tom de choradinho não me convenceu, bem como aquele romance a florescer entre Anna e Nikolai... Quanto ao O Véu Pintado, já vi e é razoável (dou-lhe mérito por ter uma essência de melodrama clássico e por conter boas interpretações).

Bjos e um bom 2008!